Como o Google Ads decide se o seu anúncio será exibido em primeiro ou último lugar nas pesquisas?

Se você é familiarizado com o Marketing Digital, sabe que a um dos sistemas de compra de anúncios e palavras-chave mais comum é o sistema de leilão.


Nesse sistema, você escolhe qual o valor máximo que deseja pagar cada vez que um usuário fizer uma ação específica (clicks, compras, assinaturas de newsletter, impressão, etc) e esse valor entra em uma concorrência com todos os outros anunciantes que estão tentando atingir o mesmo público que você.


Sabendo disso, é comum imaginar que o anúncio com maior lance estará em primeiro lugar na página de resultados, o segundo em segundo lugar e assim sucessivamente, afinal, o Google é uma empresa em busca de lucro e faz sentido pensar que quem paga mais ganha mais destaque. Só que, como já falei em outro artigo “Os 2 erros mais comuns que empresas cometem tentando ranquear seu site no Google”, o objetivo do Google é oferecer a melhor experiência de busca para o usuário, não para o anunciante.


Como funciona o Sistema de leilão do Google?


Primeiramente, é importante lembrar que as regras e algoritmos exatos aplicadas pelo Google são sigilosos e, por motivos óbvios, não são divulgadas pela empresa. Mesmo assim, sabemos, em linhas gerais, que a ordem de exibição de anúncios, chamada de Ad Rank, é definida por um indicador chamado Quality Score (Pontuação de Qualidade, em inglês).

O valor do Quality score é definido por uma variedade de fatores definidos pelo Google, como:


· Previsão de CTR: O Google, baseado em uma análise do seu anúncio, vai tentar prever quantas pessoas vão clicar no seu link.


· Qualidade da Landing page: Seu anúncio leva o usuário diretamente para o que ele está procurando? Ex: Se você tem um restaurante italiano e fez um anúncio para seu cardápio de pizzas, o Google espera que a landing page leve o usuário para uma página específica sobre pizzas e não para a sua página inicial, mesmo que haja links para a seu cardápio lá.


· Relevância do anúncio em relação à busca do usuário: Esse é um sistema de proteção contra anunciantes que tentam comprar palavras-chaves irrelevantes em busca de mais cliques. Ex: Se você vende apenas carros, tentar comprar a palavra “motos” sem um contexto apropriado, diminui muito a relevância do seu anúncio.


· Extensões de anúncios: O Google oferece opções de deixar seu anúncio mais informativo, adicionando seu endereço, telefone e outras informações relevantes para o usuário. Utilizar dessas ferramentas aumenta a pontuação do seu anúncio.

Após analisar todos esses fatores, o Google vai calcular a pontuação do seu Quality Score (de 1 a 10) e juntamente com o valor do seu lance máximo, definir o seu Ad Rank.


De forma bem simplista, mas efetiva, podemos assumir que fórmula de ranking de anúncios é:

(Valor do lance) x (Valor do Quality Score do Anúncio)


Vamos ver um exemplo.

Imagine que temos 4 anunciantes com lances diferentes na mesma palavra-chave.



Se o Google levasse em consideração somente o valor do lance, o anunciante A teria seu anúncio exibido em primeiro lugar. Mas após fazermos as contas, vemos que o impacto do Quality Score muda profundamente o Ad Rank dos anúncios.



Com essa pontuação, vemos que a ordem em que os anúncios dessas empresas serão exibidas será:


  1. Anunciante C

  2. Anunciante B

  3. Anunciante D

  4. Anunciante A

Que diferença, não? Mesmo investindo menos da metade do concorrente, o anunciante D conseguiu ter seu anuncio exibido em uma melhor colocação!


Conclusão:

Em marketing digital, a qualidade da sua estratégia é tão importante quanto o valor disponível para investimento. “Burlar” o sistema é cada vez mais difícil porque, diferente do passado, as plataformas digitais priorizam a experiência do usuário, não do anunciante. Por isso, o investimento em profissionais qualificados na sua equipe de marketing é essencial para alcançar os objetivos da sua empresa.


Recent Posts
Archive